Teixeira pode perder Corpo de Bombeiros para Eunápolis

Prazo para retirada dos bombeiros do 13º BPM está prestes a se esgotar

Em espaço pequeno, até o desempenho das funções internas fica precário.

Em espaço pequeno, até o desempenho das funções internas fica precário.

Teixeira de Freitas – No final de julho se esgota o prazo para a retirada do Corpo de Bombeiros do local em que se encontra atualmente – numa sala improvisada no 13° Batalhão de Teixeira de Freitas. Eles serão retirados para que seja feito o curso de formação de soldados da Polícia Militar. Essa área ocupada pelos bombeiros é emprestada. Nestes sete anos que estão em Teixeira sempre passaram por situações incômodas semelhantes a esta por não terem um local próprio para o trabalho.

Houve muita procura por parte de outras cidades interessadas na unidade de Corpo de Bombeiros, de acordo com denúncias encaminhadas ao Jornal Alerta, como, por exemplo, a cidade de Eunápolis, que vive um momento de crescimento e avanço comercial e por essa questão tem a necessidade de bombeiros para vistoria técnicas, dentre outros fatos de suma importância para qualquer município que deseja avançar, pois bombeiros não servem tão-somente para apagar incêndios.

Omissão do município de Teixeira de Freitas

É de responsabilidade do município disponibilizar um local próprio para abrigar o Corpo de Bombeiros. Caso não se resolva esse problema em menos de 30 dias, muitos estabelecimentos comerciais não poderão mais vir para a cidade, por falta de vistoria; o aeroporto não poderá ser construído, tampouco funcionar.

João Bosco – Em entrevista, o prefeito João Bosco esclareceu que já estão sendo tomadas providências junto ao secretário de Segurança com Cidadania, Bartolomeu Correia Calheiros, para que se consiga um espaço próprio para os bombeiros. Inicialmente, ele pensou em enviar a tropa para onde funciona o Centro Social Urbano, no entanto, nesse local, há uma série de atividades de cunho social. Ele disse ainda que Calheiros estava procurando outros locais para que a prefeitura pudesse alugar.

Nossa reportagem esteve no local onde ainda permanece o Corpo de Bombeiros e pôde perceber a precariedade em que trabalham. Em outras matérias já levamos a público que o Pelotão de Teixeira de Freitas é constituído por 33 bombeiros (dentre os que fazem o trabalho interno, administrativo e externos) que atendem a, no mínimo, 13 cidades circunvizinhas. Esses homens, além de não terem ambiente adequado para possível treinamento, ainda trabalham em uma sala improvisada, tendo que dividi-la em local para alojamento, para atendimento e para administrar. Em dias quentes, como o dia em que fomos fazer a entrevista, percebe-se com mais intensidade a falta de ar-condicionado e de ventilador.

Mesmo sendo precário, eles temem porque terão que desocupar o lugar em menos de 30 dias.

Mesmo sendo precário, eles temem porque terão que desocupar o lugar em menos de 30 dias.

Conversamos com o subtenente Raimundo Rodrigues de Oliveira, e ele não pôde confirmar negociações que tenham acontecido com Eunápolis, mas que, caso termine o prazo, o grupamento vai para qualquer cidade do Extremo Sul que ofereça uma condição para instalação da tropa. Perguntamos ao subtenente se alguma autoridade já os visitou naquele lugar, ele disse que nunca receberam a visita de nenhum prefeito ou deputado, ninguém que se interessasse em resolver essa problemática da falta de alojamento para eles.João Bosco falou da importância do Corpo de Bombeiros nesse momento para a cidade, e que ele vai fazer todo um esforço para que eles não saiam daqui. Segundo o prefeito, as obras do aeroporto já se encontram em andamento e também a reforma para local de embarque e desembarque, ou seja, “estamos com um aeroporto prestes a ser inaugurado, que precisa do Corpo de Bombeiros, e se ele for embora de Teixeira é um retrocesso imenso”, enfatizou João Bosco, que garantiu ainda que a prefeitura não vai deixar isso acontecer.

Quando o questionamos sobre as condições de trabalho dos bombeiros, o gestor disse que nesse momento a prioridade é encontrar um prédio para eles, mas que estará aberto para qualquer futura discussão. Até o fechamento dessa matéria a prefeitura não nos avisou de nenhum local que Calheiros e/ou o prefeito tenham conseguido para remanejar a tropa. Por Petrina Moreira Nunes / Jornal Alerta.